O porquê da cosmética natural

/O porquê da cosmética natural
O porquê da cosmética natural 2018-04-27T23:54:24+00:00

Hoje em dia o ritmo de vida acelerado e o acesso facilitado a todos os bens de consumo faz com que se fique limitado a produtos de massa produzidos numa lógica industrial globalizada.
Cada vez mais a nossa consciência e sensibilidade cria um compromisso com o meio ambiente, ecologia e sustentabilidade.
A cosmética natural usa todos os produtos nobres que se podem encontrar na natureza, onde o mais importante e diferenciador dos nossos produtos é o fato de manterem o bem-estar e equilíbrio da pele.
Somos parte da natureza e tudo o que colocamos na nossa pele deve ser parte desta.

Sustentabilidade

A sustentabilidade é um chavão muito na moda. Para nós é apenas a única forma de viver. Toda a atividade humana em sociedade acaba por ter um impacto na natureza o caminho é tentarmos a todo o custo minimiza-las.

A AMOR LUSO é transversal a toda a atividade e resume-se nos seguintes itens:

– Usamos o máximo de produtos locais e os não locais com proveniência controlada.
– Os nossos parceiros, artistas e artesãos são sempre próximos.
– Concentramos todos os processos produtivos no mesmo espaço.
– Os nossos processos não produzem desperdícios.
– A nossa atividade não tem impacto na qualidade do ar ou da água. Sendo 100% ecológico.
– A produção de embalagens, comunicação e publicidade é de produção própria.
– O papel que usamos é português e de origem de florestas sustentáveis. A maioria é reciclado e sem branqueamento químico.
– Temos um desperdício de papel inferior a 5%, nas embalagens e de menos de 1% na comunicação e publicidades.
– A nossa relação com os clientes e revendedores é sempre direta.

Palavras-chave: Português, Natural, Local e Sustentável

Artesanal vs industrial

Historicamente houve uma rutura muito grande entre artesanato e a indústria. Isto devido ao crescimento exponencial da indústria e a aparente desvalorização do artesanato.
Um dos principais objetivos do nosso projeto é demonstrar que existe um elo perdido entre ambos que pode ser resgatado e voltar aproximar o produto manufaturado do respeito com a natureza, humanidade e tradições.

Assim a nossa base passou por resgatar o melhor da tradição da cosmética artesanal e melhorá-la tecnicamente para se tornar mais sustentável e adaptada às necessidades e exigências atuais.

Mantivemos os métodos manuais e processos de base local que permitem fortalecer na nossa presença e identidade. Assim tal como qualquer artesão a nossa preocupação é ter matérias-primas locais com a melhor qualidade possível e ter uma comunidade próxima que possa ser parceiro e cliente.

Sabonetes artesanais

Origem e História do sabão – A origem do sabão é sustentada por uma lenda do Sec.I D.C (não suportada por nenhuma evidência). A palavra “sabão” deriva do Monte Sapo sítio onde os animais eram queimados em sacrifício aos deuses. A chuva arrastava uma mistura de sebo animal (gordura), juntamente com cinzas e barro para as margens do Rio Tibre. Essa mistura resultava numa borra (sabão). Os habitantes que lavavam roupa junto aos altares de sacrifício perceberam que essa borra permitia uma limpeza mais eficiente.

O sabão aparece no nosso quotidiano através do fabrico artesanal, fervendo gordura animal e adicionando cinzas, formando uma borra (sabão) que servia para lavar roupa e tratar da higiene corporal.

Processo produtivos

A produção de sabão é realizada por um processo de saponificação a frio (Cold Process). Consiste na reação simples ácido/base, em que os ácidos são gorduras e/ou óleos reagindo com uma base (geralmente hidróxido de sódio ou de potássio) dando origem ao sabão / sabonetes.

Após o seu endurecimento, o sabão é cortado e deixado em processo de cura.              Este processo demora aproximadamente um mês. Durante este período, a reação da saponificação continua, e ocorre a evaporação de água. Dessa forma, o sabão vai perdendo humidade e chega à sua forma final.
Este processo é o mais simples e tradicional que garante a preservação das propriedades e eficiência do produto.